Como dar um feedback bem dado?


Feedback

“Prefiro os que me criticam, porque me corrigem, aos que me adulam, porque me corrompem.”

– Santo Agostinho –

 

O feedback bem dado é aquele que aponta comportamentos funcionais ou disfuncionais de uma pessoa, demonstrando seus impactos (positivos ou negativos) para a relação e para a organização e é imediato. No entanto, alguns cuidados preliminares são fundamentais:

  • O feedback bem dado deve mirar o propósito. O comportamento atende ou fere os acordos, a visão, missão e os valores da área ou da organização? Se sim, dê o feedback;
  • O feedback bem dado é assertivo e pautado em evidências. Principalmente quando é um feedback corretivo, deve-se suspender todo julgamento sobre o que considera ser certo e errado e focalizar nos fatos.
  • O feedback bem dado não rotula as pessoas, mas se concentra no comportamento observado e nas informações coletadas;

No feedback bem dado, é importante descrever evidências, ou seja, comportamentos acessíveis à observação de qualquer outra pessoa presente. Um dos maiores erros ao dar um feedback é apoiar a percepção em opiniões pessoais que poderão criar resistência na pessoa. Veja abaixo algumas descrições de comportamento comparados com opiniões. Portanto, treine sua capacidade de observação para identificar comportamentos.

O feedback bem dado oferece inúmeros benefícios, entre eles:

  • Fortalece a confiança, estreitando o relacionamento entre as pessoas;
  • Promove o desenvolvimento on the job;
  • Mantém a motivação e compromisso para o aperfeiçoamento contínuo;
  • Melhora a comunicação entre a equipe;
  • Ajusta os objetivos com as metas da organização e da equipe;

Há diversas técnicas e modelos para dar feedback bem dado. Gosto do Modelo SCI, que é a sigla de Situação, Comportamento e Impacto. Trata-de de um modelo bastante simples, que orienta a construção do discurso de feedback. Confira abaixo alguns exemplos:

Uma pessoa, equipe ou organização não consegue mudar a menos que receba feedbackcom regularidade e quando justo e bem aplicado, mobiliza as pessoas num processo contínuo de melhoria. De outro modo, as pessoas continuariam tentando melhorar de forma aleatória e, consequentemente, frustrando-se com resultados aleatórios.

A eficácia do feedback depende de um processo continuado que integra a identificação de modelos mentais, comportamentos, informações e impactos. As informações auxiliam indivíduos, equipes e organizações a alinhar intenção com percepção.

Que essas dicas te ajudem a desenvolver um cultura de feedback bem dado.

Tudo de bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *